quinta-feira, 3 de maio de 2012

VÍDEO - Vulnerabilidades e Proteção Social - CRAS




Outro videozinho bem bacana para pensarmos sobre essas questões tão importantes e presentes em nossos trabalhos!

Um abraço a todos que acompanham o Blog!!

Bjosss

Alê

quinta-feira, 19 de abril de 2012

MATERIAIS AÇÕES SOCIOEDUCATIVAS


Pessoal, este material é muitooo interessante e eu gostaria de compartilhar com vocês...me ajudou bastante a entende o que de fato são as ações socioeducativas e como podemos realizá-las. São 3 cadernos...o arquivo está disponível para download.

Espero que gostem da leitura!!


Clique no link abaixo para fazer download!

MATERIAIS PARA AÇÕES SOCIOEDUCATIVAS

Obs: Vai abrir uma página da RapidShare

1- Vá até a figura de um computador onde está escrito logo abaixo Download e clique neste lik verde para baixar o arquivo.

2- Vão aparecer duas opções: clique em download gratuito e aguarde para baixar o arquivo. O meu aparece no canto inferior esquerdo.

Qualquer dúvida vamos conversando...

Beijooo grande e bom final de semana a todos! ;)

Alê

GRUPOS SOCIOEDUCATIVOS

Hoje quero falar um pouquinho sobre os grupos...



As práticas socioeducativas se constroem por meio de processos e atividades e possibilita aprendizagens que contribuem para o desenvolvimento da família, atualizando e complementando conhecimentos já trazidos por elas (famílias), fruto de sua vivência e cultura.

É um espaço de aprendizagem voltado para o desenvolvimento de capacidades individuais e valores éticos, estéticos e políticos para promover o acesso, compreensão e processamento de novas informações estimulando a convivência em grupo e a participação na vida pública.

A principal característica dos grupos SOCIOEDUCATIVOS é o exercício da CONVIVÊNCIA SOCIAL.

As ações socioeducativas são um caminho estratégico para enfrentar a desigualdade. Devem propiciar atividades que reflitam as garantias da proteção social e desenvolver interesses e talentos em seus participantes. A apropriação de conceitos, atitudes, valores, e competências pessoais e sociais podem ser feitas em contextos intencionais, para garantir seu aprendizado.

Esta ampliação da informação envolve experimentar e circular nos diversos espaços e lugares da cidade e na interação com diferentes pessoas.

É importante:

- Que o usuário participe do planejamento e da responsabilização em relação ao projeto e aprenda a elaborar o seu projeto de desenvolvimento pessoal e social;

- As escolhas das atividades precisam levar em conta a história sociocultural e as questões que surgem na comunidade e no mundo, ampliando o repertório e as oportunidades de aprendizagens, suas demandas, necessidades e valores;

- Articulação com a rede, reconhecendo e valorizando as diferentes alternativas de proteção;

- Oferta de espaço de acolhimento, diálogo e interação, discutindo as questões desafiantes do cotidiano, estimulando-os a buscar alternativas para as questões apresentadas;

- Reconhecer e validar os valores trazidos pelas famílias e que são vivenciados nos seus relacionamento e comunidade,  mas introduzir novas aprendizagens voltadas para a busca da verdade e da ética.

Essa figura abaixo mostra como acontecem esses três momentos que devem permear o grupo para que aconteça a aprendizagem: 

1- CONCEITUAL (Rosa)
2- ATITUDINAL (Azul)
3- PROCEDIMENTAL (Verde)




Espero que tenha ajudado e em breve vou postar como faço este trabalho por aqui!

Beijosss

Alê


segunda-feira, 16 de abril de 2012

GRUPO DE ADOLESCENTES - Fernão Dias e Vila Rural


Esta postagem foi feita inicialmente no BOLG CRAS, mas como criei um outro blog específico para falar de grupos, achei interessante contar esta história novamente!

Como estamos falando de oficinas, caixas para definir os temas, achei apropriado relembrar esta fase de um grupo de adolescentes que durou 2 anos. A partir deste ano (2012) , o grupo tomou outro rumo que contarei a seguir...

Para quem não conhece, Fernão Dias é o Distrito de Munhoz de Mello - PR e tem aproximadamente 100 famílias, contando os moradores da Vila Rural. 



Listamos todos os adolescentes que moram nessa região, são 30 ao total, somando aqueles que moram nos sítios, fazendas e que vivem em Fernão Dias, mas estudam e trabalham em Munhoz de Mello. Enviamos convites que foram entregues pela Enfermeira Vera Macri, que trabalha no posto de saúde de Fernão Dias.

Nesta reunião, explicamos os objetivos do grupo, quais as atividades que pretendemos realizar com eles e ouvimos suas necessidades (o que gostariam de fazer, discutir, aprender nesse momento em que estaremos juntos).

Estavam presentes 13 pré-adolescentes e adolescentes com idades entre 11 e 18 anos. Apesar da disparidade de faixa etária, não é possível separá-los, já que o distrito não comporta dois grupos distintos, são poucos adolescentes que vivem lá. O ideal seria fazer grupos separados por idade e trabalhar de acordo com as necessidades daquela faixa etária, mas como isso não é possível...tem um ditadinho bem apropriado: "Quem não tem cão, caça com gato". O importante é REALIZAR com qualidade. Portanto, ora iremos priorizar os de menor idade com temas de interesse deles, ora os mais velhos.


Eles solicitaram trabalhos como: dinâmicas, artesanato / artes, passeios (turismo rural), dança, reflorestamento, drogas, alcool, tabaco, sexualidade, DST, teatro, culinária, esporte, cultura, conhecer a história do município e do distrito, agentes mirins, discutir sobre propaganda enganosa e direito do consumidor, os prós e contras do uso da internet, aprender a utilizar a internet, baile de adolescentes, acampamento.

O que é interessante considerar, se repararem na lista que eles montaram, que a maior parte das atividades solicitadas são DINÂMICAS. Isto é, sair a campo, conhecer, colocar a mão na massa, se mexer. Trabalhar com adolescente é isso...é estar disposto a sair da zona de conforto das salas fechadas e entrar no embalo do entusiasmo juvenil. Eles estão cansados de aprender do modo tradicionalista da escola, querem novidades, instrumentos diferentes, afinal, eles são da era onde tudo é globalizado por meio do computador. As informações correm rápido, os recursos são mais atrativos  e se a gente não acompanhar esse ritmo, não consegue atingi-los.


Os cadernos do PROJOVEM são ótimos para trabalhar com adolescentes, quem tem esse material use e abuse, aproveite as dicas, sugestões e orientaçãoes, ele fornecem inclusive dinâmicas.



Notem que dos 30 convidados, compareceram apenas 13. Isso é completamente normal no trabalho de grupos. Por isso, quando quiser montar uma turma com 20 participantes, convide de 35 à 40 pessoas. Lembre-se que nem todas as pessoas se interessam por trabalhos assim porque exigem, de certa forma, uma exposição pessoal. Há ainda aqueles que comparecem nas primeiras reuniões, não se adaptam ao trabalho e em seguida o abandonam. Tudo isso deve ser levado em conta no momento de escolher os participantes e de planejar o trabalho de grupos.

Algumas pessoas me questionam sobre a desistência dos participantes ou o não comparecimento destes nos trabalhos. Pensam que pelo fato de não saberem lidar com grupos, não terem muita habilidade com a prática tornam as reuniões desinteressantes o que afasta as pessoas das reuniões. Isso nem sempre é verdade.

Claro que é importante buscar conhecimeto, ler, estudar, porque o trabalho de grupos é complexo, assim como são complexas as relações humanas. No grupo as pessoas não deixam de ser quem são na vida cotidiana, ele é uma representação, em menor escala (micro), daquilo que acontece na sociedade (macro).
O aprendizado das técnicas de grupo levam tempo para acontecer. Se você puder buscar um supervisor, fica mais fácil, mas mesmo assim vai depender de seu esforço pessoal obter bons resultados.

Nós enquanto profissionais erramos muitas vezes, sempre na tentativa de acertar. Isso não deve nos desestimular, deve nos impulsionar para buscar mais informação, mais conhecimento. Agindo assim, cedo ou tarde alcançaremos nossos objetivos.

Bom, este ano tivemos que nos despedir do grupo de adolescentes de Fernão Dias, que está sendo coordenado pela  Assistente Social - Marlene Fávaro. Entendemos que seria interessante abrir uma outra turma do Pró-Jovem adolescente, mas agora com estes que moram nas áreas rurais. Então hoje existem dois Pró-Jovens em Munhoz. Um acontece na cidade e este outro continua na sala da escola de Fernão Dias. Ela iniciou o trabalho a pouco tempo, em março de 2012 e pelo que comentou comigo, está amando trabalhar com este grupo. Boa sorte Marlene...e grupo...que esta seja uma outra etapa de muito crescimento para vocês!

Um beijãoooo


"COMECE FAZENDO O QUE É NECESSÁRIO, DEPOIS O QUE É POSSÍVEL E DE REPENTE ESTARÁ FAZENDO O IMPOSSÍVEL" (S. Francisco de Assis)

Alexandra Vera de Oliveira
Psicóloga

quinta-feira, 12 de abril de 2012

VÍDEO: Trabalho Social com as Familias - CRAS




Olha que vídeo bacana...pra quem não teve oportunidade ainda de assistir, dá uma breve pincelada sobre como devemos realizar o trabalho social com famílias.



Espero que gostem...e em breve postarei outros vídeos relacionados!

Bjosss

Alê

MATERIAL DE APOIO PARA ADOLESCENTES - Sexualidade

Olá pessoal, encontrei um material muito interessante no Blog Compartilhando Experiências postado pela Rayane e Sislaine...muito bacaba por sinal.

Fala sobre "sexualidade e saúde reprodutiva - para jovens homens" e " Trabalhando com mulheres jovens - empoderamento, cidadania e saúde".
Este material é excelente para quem está precisando montar algum grupo com adolescentes.
Lembram-se do planejamento?
Então...é isso ai, tem várias dicas e só colocar a mão na massa, ou melhor, no papel para definir os objetivos.








Estes trabalhos com adolescentes podem ser feitos por meio de oficinas (que tem começo, meio e fim). 
Caso não saibam como começar...vocês podem montar uma caixinha de sugestões para que eles escolham os temas que querem ouvir sobre sexualidade. Vale enfeitar a caixinha, deixar ela bem atrativa...entreguem papel e lápis para eles na primeira reunião e peçam que escrevam a pergunta da qual tem dúvidas ou então sobre os temas que lhe interessam.



Os adolescentes colocam suas "questões"  na caixinha, sem que ninguém saiba o que ele escreveu...
Essa caixinha linda ai foi feita pelas queridas blogueiras Rayane e Sislaine. Olha que criativa! Bem cara de adolescentes, não acham?

Ficou fácil né...dai em diante é só buscar dinâmicas que tenham relação com os temas escolhidos!

Beijãoooo

Alê

ATIVIDADES COM GRUPOS - Oficinas



As atividades realizadas em grupos podem ser das seguintes modalidades:
  • Palestras;
  • Oficinas;
  • Grupos Sócio-educativos.
Sobre as palestras, todos sabemos que são temas dirigidos, escolhidos por uma profissional para abordar um assunto específico num curto espaço de tempo.

Hoje quero falar um pouquinho mais sobre as oficinas...

As OFICINAS são atividades desenvolvidas com um grupo de pessoas  que propiciam a ampliação de conhecimentos de um determinado assunto. As oficinas são atividades que pressupõem vivências concretas resultantes da vida cotidiana das famílias e pode-se utilizar (ou não) abordagens lúdicas. Existem dois tipos de oficinas.

Oficinas de Reflexão: 

  • É um trabalho estruturado utilizando temas que o grupo se propõe a discutir. Podem ser usados recursos lúdicos, interativos e reflexivos que facilitem a reorganização do pensar, sentir e agir diante da questão abordada. Este trabalho desenvolve a consciência crítica através da análise da vida cotidiana e dos conflitos relacionais, tendo por base também os direitos e deveres inscritos nas legislações sociais. 

  • Deve-se oportunizar a promoção da comunicação, permitindo a troca de experiências. A oficina articula o que o grupo pensa, sente e faz sobre determinado tema. Além de transmitir a informação, também promove a reflexão e compreensão sobre esta questão da vida das pessoas envolvidas.

  • O planejamento das oficinas é flexível e deve levar em conta o contexto, o público, a demanda e os recursos disponíveis. O grupo participa na definição de suas regras, escolhas de temas e sub-temas e formas de discussão. A partir da escolha destes temas os coordenadores organizam cada encontro.

Oficinas de Convivência:

  • São encontros periódicos com pessoas que vivenciam questões de interesses comuns e que serão compartilhadas e refletidas coletivamente. O objetivo deste grupo é CONVIVER e para tal precisa trabalhar as relações interpessoais (organizar conversas, passeios, lanches, troca de habilidades, cuidados mútuos e promoções do grupo).

  • O trabalho deve envolver a reflexão sobre temas de interesse do grupo ou de produção de algum produto. O grupo define e escolhe as atividades ao longo do processo. Os técnicos podem apresentar sugestões de atividades e temas.

É isso ai pessoal, com esses conceitos fica mais fácil planejar uma oficina, não é?
A gente sempre tem que lembrar do nosso OBJETIVO ao montar uma oficina, fazer o projetinho, dar corpo a idéia.

Lembro que estou realizando as supervisões para trabalho com Grupos. Quem quiser se aprofundar um pouquinho mais nestes assuntos, mande sinal de fumaça! rsrs

Beijosss

Alê